7 de jan de 2014

Danger - Capítulo 1

“Sem uma alma, meu espírito dorme em algum lugar frio.”

Terça-feira. 
Dezembro de 1884

  O que uma garota estaria fazendo em uma floresta, á meia noite? Correndo de algo? De alguém? Dela mesma, talvez? Sua respiração ofegava e seus pulmões doíam. Mas ela prometera correr o máximo até não conseguir mais por inteiro.
  Ela se cansou e sentou — se jogando, praticamente — em uma árvore de galhos ressecados, folhas pretas e raízes secas. Estava com a mão sobre o peito na tentativa falível de acalmar seu coração. Ela fechou os olhos, não queria olhar aquele lugar escuro e sombrio. Não queria ver aquelas nuvens negras e frias perseguindo-a. Ela suspirou e tentou se acalmar, mas foi em vão. Ela abriu os olhos e viu aquelas sombras indo em sua direção. Sabia que morreria — até porque ser perseguida por sombras não poderia significar outra coisa. Ela fechou os olhos e esperou sua morte chegar. Mas, por algum motivo, abriu os olhos. Fechou-os novamente pois a luz bem á sua frente a impedia de ver com clareza. Seria sua salvação? Um anjo é mais provável pois, se ela não estivesse louca, poderia jurar que estava vendo asas de anjo em meio a forte luz.
  Sua boca se abriu e seus olhos se arregalaram ao ver que era mesmo um anjo naquela luz. Não conseguia ver rosto, pois, ao que parecia, aquele anjo estava lutando contra aquelas sombras.
  Não conseguia tirar os olhos daquela “guerra” entre anjo e sombras — ou demônios, talvez? —. Seus olhos contornavam as asas brancas e frágeis daquele anjo. Cada movimento que ele dava era doce, suave e angelical.
  Seus cabelos loiros e sua pele branca a fizeram suspirar. Seus movimentos eram perseguidos pelo olhar encantado da garota.
  A essa altura, as sombras pareciam estar perdendo a guerra. Ela soltou um sorriso ao ver que as sombras haviam se afastado e, aos poucos, sumindo.
  O anjo se virou para ela, mas não conseguia ver seu rosto. Algo impedia.
  A luz.
  A luz não a deixava ver seu rosto. Queria vê-lo para poder pensar nele a todo o tempo. Queria saber como era seu “anjo da guarda” se por assim dizer.
  Ela sentiu seus braços contornarem sua cintura e seus pés saírem do chão. Fechou os olhos e apenas se deixou sentir o vento atravessa-la, seus pés no ar e os braços do anjo envolvendo-a. Não conseguia pensar em outro lugar melhor do que nos braços daquele anjo.
  Ela abriu os olhos e tentou, mais uma vez, ver o rosto do anjo, mas foi em vão. Talvez ele não quisesse que ela soubesse quem ele é; talvez não quisesse que ela se lembrasse dele!
  Soltou um sorriso ao se sentir sendo apertada contra o corpo dele. Seus braços a confortando, suas asas fazendo o vento vir mais contra si, o cheiro bom — quase indecifrável — dele a fizeram suspirar. Ela encaixou seu rosto na curva do pescoço dele. Poderia dormir ali, em seus braços macios. Poderia ficar grudada á ele quanto tempo fosse. Ela não se importaria.
  Seus olhos se abriram e seu sorriso se desfez ao sentir seus pés no chão. Ele desenrolou seus braços da cintura dela. Ela queria abraça-lo por salva-la daquelas sombras, mas principalmente para sentir seus braços envolvendo-a novamente. Sentir a segurança e o conforto que eles transmitiam.
  Ela ainda não vira o rosto do anjo. Não sabia o por quê, mas achava que ele não queria mostra-la. Ele estava de costas para ela, olhando para o céu e sussurrando algo. Queria saber o que ele estava falando, mas seu sussurro era tão baixo... Talvez estivesse falando com Deus?!
  Seus cabelos se movimentavam com facilidade. Lisos e loiros. Pareciam fios de ouro. Sua pele branca, não como a dela que parecia nunca ter visto o sol, mas num tom branco perfeito. Ele era perfeito!
  Ele abaixou a cabeça e suspirou, sussurrando algo novamente, deixando-a mais curiosa. Queria saber seu nome. Queria saber tudo sobre ele. Mas, principalmente, queria ver seu rosto. Ela respirou fundo e perguntou:
  — Quem é você? — ele olhou de lado, não virando totalmente o rosto, mas conseguia ver a metade dele. Ele continuou em silêncio e voltou a olhar para frente — Você é um anjo da guarda? — manteu-se em silêncio — Estou falando com você!
  — Não posso falar agora! — seu tom de voz autoritário a fez calar-se — Preciso descobrir uma maneira de te proteger — ela sorriu
  — Então você é meu anjo da guarda? — ele se abaixou e pegou um galho escrevendo, ou fazendo qualquer outra coisa, na terra
  — Não.
  — Então por quê me salvou das sombras? — ele suspirou
  — Não tinha outra escolha — ela viu um sorriso irônico se formando em seus lábios
  Ela precisava saber quem ele era.
  — Pode me dizer seu nome? — ele bufou
  — Não.
  Que anjo mais arrogante! — pensou.
  — Deixe-me, ao menos, ver seu rosto — ele se manteve em silêncio, mas se levantou e suspirou
  — Precisamos ir embora! — ele pegou sua mão e, ao sentir o toque de sua pele fria, ela sentiu um pequeno choque
  — ...Por que? O que eram aquelas nuvens? O que você é? — ele bufou novamente
  — Você precisa fazer tantas perguntas?
  — Se você me respondesse talvez não precisaria — ele ficou em silêncio e ela apenas sorriu se sentindo vitoriosa — Por favor, me diga o que está acontecendo
  — Corre!
  — Você não vai fugir de mim! — ele se virou e a olhou nos olhos. Seu olhar estava apavorado e sua pele estava pálida. Seu rosto era angelical e doce. Ela o olhava encantada e boba. Até ser interrompida por seus gritos
  — Corre, Selena, corre! — ela não tinha outra escolha. Seu olhar era tão apavorado que ela sabia que sua obrigação era fazer o que ele havia pedido.
  Ela corria e pensava ao mesmo tempo. Do que ela estaria correndo? Por quê ele estava tão apavorado? E como ele sabia seu nome? Eram tantas perguntas que ela não sabia se teria resposta! Apenas corria. Não via por onde passava. Não via nada. Apenas via o rosto dele em sua mente. Seus olhos apavorados fixados nos dela.
  Ela não havia percebido, mas uma luz estava bem á sua frente. Talvez a guiando...
  Resolveu segui-la. Poderia ser a luz do anjo. Poderia ser o anjo. Ela queria vê-lo novamente. Queria sentir seus braços. Queria olhar em seus olhos. Queria ele.

Por Selena

  Finalmente havia entrado no saguão do reformatório. Corri para não me atrasar, mas foi vão. Me atrasei 3 minutos e isso era o bastante na Infinity Institute.
  Coloquei um sorriso simpático no rosto, mas fui recebida com o olhar reprovador de uma mulher de preto — Na verdade todos estavam de preto.
  Alguém morreu? — me perguntei
  A mulher deu passos lentos e grandes até chegar bem a minha frente.
  — Selena, não é? — assenti — Está atrasada
  — Eu sei. Mas é que... — ela me interrompeu
  — Os motivos de seu atraso não me interessam — Que grossa! — Mas espero que isso não se repita
  — Não irá se repetir — ela sorriu de lado, se virou e foi na direção dos outros alunos que, por causa dessa bronca, estavam rindo de mim.
  Revirei os olhos e fiquei observando os alunos. Pareciam mortos. — Digo tristes. Fiquei os observando mais, até ver um garoto de cabelos loiros. Ele estava de costas para mim e conversando com outro menino de cabelos pretos. Sentia que já havia o visto em algum lugar. Sentia que o conhecia. Mas devia ser só uma pequena impressão. Ele era muito bonito — Branquinho, ombros largos e cabelos lisos. —. Tinha certeza que já o vi antes!
  Suspirei e esperei alguém me ajudar a entender o que eu tinha que fazer.
  — Senhora Gertrude? — uma menina entre os alunos a chamou — Acho que alguém está meio perdido — apontou para mim
  Não só a Senhora Gertrude me olhou, mas todos naquela sala também. Senti minhas bochechas queimarem ao ver o garoto de cabelos loiros olhando para mim. A Senhora Gertrude veio até mim novamente, exatamente como quando cheguei, e disse:
  — Demetria, poderia mostrar a escola para a Senhorita Perdida? — Senhorita Perdida? Argh. — E a leve para vestir a roupa adequada
  — Claro — ela riu e entrelaçou seu braço no meu me puxando para fora da sala
  Ela começou a falar e parecia que não pararia mais! Fomos á uma sala cheia de armários e lá a Demetria havia me dado um vestido preto. Coloquei a roupa e ela me olhou aprovando. Saímos da sala e, como a Senhora Gertrude havia mandado, Demetria iria me mostrar a minha nova escola.
  Estávamos em frente ao portão do reformatório. Minha vontade era atravessar aquelas barras enferrujadas! Me senti tão mal ao ver o lado de fora da Infinity Institute. Aqui dentro era tudo tão triste. Tão...morto!
  Enquanto passeávamos pela escola, vi um casal de góticos de beijando tão ferozmente... Pareciam se engolir! Se não fosse pelas tatuagens e piercings, poderiam dizer que eles eram iguais á todos aqui. Afinal, todos usam preto. Olhei para Demetria e ainda estava me perguntando se alguém havia morrido, então, pra saber, resolvi perguntar-la.
  — Demetria, por quê...? — ele me interrompeu
  — Me chama de Demi — assenti e ela sorriu — Pergunte!
  — Bom, Demi, por quê todos aqui usam preto? Alguém morreu? — Demi soltou uma gargalhada estrondosa, o que fez um grupo de garotos nos olharem como se fossemos loucas. Mas...eles também são! Todos somos...
  — Aqui é sempre assim! Vai se acostumando á usar preto todo o santo dia — sorriu de lado e me mantive em silêncio — Então, por quê ta aqui?
  Nem eu mesma sabia responder! Mas sei que não sou louca. E sei que os loucos dizem isso, mas não sou louca! Suspirei e olhei para meus pés. O que estou fazendo aqui? Não sou uma louca! Não devia ter contado á meus pais sobre as sombras! Eu sabia que eles achariam que sou uma maluca, que vejo coisas que minha mente maluca transmitem para minha visão. Bom... Talvez eu seja louca.
  — Hey, menina, acorda! — estalou os dedos na minha frente — Ta me ouvindo?
  — Desculpa — suspirei
  — Bom, como eu estava perguntando, por quê está aqui? — a olhei sem saber o que dizer. Não queria falar o por quê de eu estar aqui. Ela não acreditaria em mim. Ninguém acredita! Mas precisava dizer algo. Não poderia deixar a pergunta de Demi sem resposta! Então falei a única coisa que me veio á cabeça:
  — É uma longa história! — suspirei
  — Okay, se não quer me contar, tudo bem — ela sorriu e retribuiu seu sorriso
  Olhei em volta. Tudo tão quieto, velho e sombrio! Pareciam não terem dado um geral aqui faz anos!
  Virei o rosto e lá estava ele. O garoto dos cabelos loiros.
  Não conseguia tirar meus olhos dele. Meus olhos analisavam cada traço perfeito de seu corpo enquanto ele ria e sorria conversando com o mesmo garoto de mais cedo. Seu sorriso era encantador. Seu corpo magro. Seu rosto tão...tão angelical... Me lembrei de algo. Não sei exatamente o que, mas tinha haver com...
  — Justin... — me assustei com o vento que saiu da boca dela e se soprou em minha orelha
  — O que?
  — O nome dele é Justin. Você não para de olhar para ele — ela riu
  — De onde ele é?
  — Não sei. Ninguém sabe... — ela sorriu de um jeito meio assustador — Cuidado, ele não é bom pra você. Não é bom pra ninguém — e mais uma vez ela sorriu daquele jeito assustador me fazendo estremecer.
  A olhei incrédula e voltei a olhar Justin. Mas ele parecia tão doce. Apesar do olhar feio que me mandou na sala quando havia acabado de chegar. Mas isso me impediu de pensar naqueles olhos cor de mel me olhando, mesmo com raiva, desprezo ou... medo. E o que eu não esperava acontecer, se fez. Ele olhou diretamente para mim. Senti minhas bochechas arderem e percebi que estava vermelha. Ele sorriu. Isso é muito bom! Mas também constrangedor. Não conseguia tirar meus olhos dos dele. Nos olhos pareciam dois ímans. Mas, de uma hora para outra, ele desfez o sorriso e me olhou com raiva. Não havia entendido nada!
  Qual o problema desse garoto? — pensei.
  Demi me cutucou.
  — Sim?
  — Temos que ir para a aula! — assenti e fomos em direção a minha nova sala


Olá olá cupcakes! Ai está a nova fanfic da Biela ~que sou eu \o/~. Até que gostei desse começo, o que é raro de acontecer, só não gostei muito do final haha.
Alguém ai leu o livro da saga de Fallen? Se leu com certeza deve ter achado parecido! Bom, é que esta fanfic será inspirada em Fallen pois esse livro é perfeito, diwo e maravilhoso. Me deixou obsecada por anjos e sombras '-' Irá ter coisas parecidas com as do livro, mas é claro que vou mudar muitas coisas que acontecem na saga. Afinal, isso seria plágio! Mas enfim, me digam o que acharam do primeiro capítulo da nova fanfic feito por Biela pacotinho :3 que ainda sou eu :3 falem a verdade, hein! Bjinhos, espero que tenham gostado e até o próximo capítulo ;*

10 comentários:

  1. Omg que perfeito! Eu nao li fallen pois to sem grana pra compra os livros ;/ mas amei a ideia de ser inspiracao pra mova fic :) nao fique triste se eu nao comemtar por um tempo é pork sou ocupada e to vendo cursos e a escola que as aulas vao começar ;/ mas fique feliz que eu li suas fics umas 20 veses e nao canso de ler ;) e essa agora ficou "like a champion " hehehe e quero hot eins kkkkk

    ResponderExcluir
  2. Heeey :3
    Eu vim aqui avisar que já te coloquei nos meus afiliados, e gostaria que você colocasse-nos também! Desculpe a demora :s
    Dream Out Loud
    http://ficjaylor-taylena-iloveyou.blogspot.com.br/
    beijoos,

    ResponderExcluir
  3. Oii gata! Vim te avisar que eu aceitei a solicitação e já coloquei na elite!
    Desculpa a demora :3
    Vou ler a fic dps comento! Bjss

    ResponderExcluir
  4. Gabsssssssssssss, posta o segundo logooo hahaha, estou ansiosa *-----*

    ResponderExcluir
  5. Gabi sua linda, continua pfvr, você é perfeita baby

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vejam o post desse blog galera , nada melhor que uma pessoa contando a sua própria história , e se der se inscrevam
      http://sbloggerdagarota.blogspot.com.br/

      Excluir
  6. Na real não gosto do Justin por vários motivos ( que eu acho que é motivo ou só é implicância), mas gostei desta fic. `Posta logo gostei.
    Nova leitora
    Ajuda? Segue, divulga e comenta e lê (né?) huasuhash
    http://amorquematajemi.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. hey amor, aceita afiliação? Adorei o cap ashunsdjgb. Bjs
    Se puder divulga? obg
    http://itslovebitch.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir